11 de outubro de 2009

Crônica

Futebol nas Tabócas - Jogo da volta

Por Gildázio Vieira


Um mês após o jogo nas Tabócas, chegou o esperado dia de virem ao Mato Grosso “pagar o jogo”, durante esse mês, os preparativos foram intensos, o professor Gilberto muito severo nos treinamentos, Branco não treinou, portanto estava barrado para essa partida, parecia o Romário, não queria treinar, só cuidava da vasta cabeleira mandou vir shampoo de São Paulo coisa fina !!
Muitos torcedores, só moças tinha pra mais de 100, bem dispostas e educadíssimas, não xingaram os jogadores, ao contrário, foram recebidos com uma rosa e o lindo sorriso da Sofia.

E o jogo começa, as equipes se estudando, e aos 15 minutos Nesinho de Josias fez um gol de bicicleta do meio do campo, lindo gol, nem Pelé fez um gol assim, pena que na época não existiam as filmadoras portáteis para eternizar esse momento mágico e assim, com um gol de vantagem para o Mato Grosso termina o primeiro tempo, pois Louro Borges, nosso goleiro pegou todas, pegou até um penalty... Grande goleiro!! Mas… quem defenderia o gol do Mato Grosso Futebol Clube no segundo tempo seria o Chico Ferrugem, Dely Vieira o trouxe de Sebastião Laranjeiras dizendo: “Esse é o melhor goleiro da região, só não está jogando no Bahia porque lá em Salvador o gol tem 2 metros e 20 de altura e ele só tem 1,60m…O Chico tinha bebido umas, mas bota UMAS nisso, tava vendo tudo dobrado bola ele via duas, e assim começa o segundo tempo, Tabócas com a mesma formação, O MGFC, como já vimos, tinha substituído o goleiro e mal recomeça a partida uma bola sem muita velocidade vem em direção ao gol, o Chico ficou sapateando, escolhendo qual das duas bolas ele agarraria mas escolheu a bola errada, a bola de verdade entrou suavemente no gol e o goleiro espatifou-se no chão acreditando ter evitado o gol .
E situações idênticas a essa aconteceram, ele sempre escolhia a bola errada, às vezes nenhuma delas, demorava demais a escolher e as bolas passavam, bolas para ele, porque na realidade era uma única bola.
Quando os “Taboqueiros” fizeram o 4° gol, Deca, o juiz, anulou-o, foi um gol legítimo mas ele disse “OFISSAIA” (usava-se muito o termo Inglês OFF SIDE para designar impedimento), como estavam ganhando nada disseram no terceiro OFISSAIA do Juiz, mais 3 gols anulados, um dos jogadores, o centro-avante que tinha feito os gols, partiu pra cima de Deca dizendo : “vou te mostrar o OFISSAIA seu juiz ladrão”, nosso árbitro saiu correndo de costas dando pulinhos e gritando: “ me segure gente.. me segure ! vocês me conhecem , quando eu começo dar eu não paro”, mas ninguém segurou o coitado, o brutamontes foi se aproximando e ele gritando: “ME SEGURA !! ME SEGURA!!”, e ninguém ao seu auxílio, embora estivesse armado com uma garrucha, aquelas de dois tiros e uma carreira, nem se lembrou dela e foi agarrado, o cara abre-lhe a boca e enfia o apito goela abaixo ficando no meio do caminho, engasgado ele ia conversar apitava, foi chorar o apito disparou, Vavá não perdeu a oportunidade de dar sua famosa gargalhada.. que malvadeza !!
No meio daquela confusão, davam-lhe tapas nas costas, mas sem surtir efeito o apito continuava lá e o pior, sempre apitando quando ele respirava, como menino sabe das coisas um moleque esperto disse: “Por que vocês não chamam Seu Dely? ele sabe benzer engasgamento com espinha de peixe, deve ser a mesma coisa”, chamaram-no, imediatamente chega Dely Vieira afastando os curiosos que rodeavam o juiz engasgado, colocou a mão na garganta de dito cujo e benzeu alto :

“Santo Antonio pequenino
Mansador de burro “brabo”
Desengasga esse sujeito
Com 1600 diabos”




Depois disse : “Engole !” engoliu e o apito desceu, foi apitar no estômago. Problema resolvido? É… em partes, tem sempre o amanhã, o amanhã do Deca não se anunciava muito promissor, ficou a imaginar o percurso que o apito faria e por fim, a sua liberação total, essa era a sua maior preocupação.

Na manhã seguinte, por volta das 10 horas o bar do Gilberto Técnico já estava lotado, todos queriam saber notícias do juiz, e ninguém sabia, de repente, chega um garoto arfando e gaguejando devido ao cansaço e perguntando: “Cadê Seu Dely, cadê seu Dely?” Meu pai responde: “Tô aqui” e o garoto dá a mensagem: “Seu Dely, Deca mandou dizer pro senhor ir lá benzer, que o apito ta emperrado, quer sair não”, Seu Dely coça a cabeça, pede uma pinga “Poca olho” a única que tinha lá na época, essa pinga matou uns 200, o cabra que bebia muito começava a estufar os olhos e em pouco tempo batia a caçoleta, me escapei por pouco !!
Pinga e decisões tomadas ele diz ao garoto: “Olha aqui menino, diga a Deca que eu sei benzer engasgamento, ainda não aprendi a desentalar apito em regiões fiofônicas, e também teria de colocar a mão no lugar, mas vou ver o que posso fazer daqui mesmo, onde ele está?” “Está detrás da Igreja da Caiana, naquele matinho que tem lá, onde tem muita malva macia”.
Sai do bar, ao lado ao pé da cerca um “pé” de São João, tira 7 ramos e procura o “ rumo” da Igreja da Caiana e tome ramo, benzeu durante 1 minuto, os ramos de São João antes verdes e viçosos secaram completamente, esfarelavam-se ao esfregar nas mãos.
Perguntaram qual foi a oração, ele disse, a mesma só mudei uma palavra no lugar de desengasgar eu disse DESENTALAR e dobrei os diabos, de 1600 “carquei” logo 3200, vai ou raxa ou o rabo arranca.
E ficamos a esperar, depois de uma hora e meia alguém sai a porta e diz : “Lá vem ele!” cada um procurou lugar mais confortável para saborear o relato que o Deca faria, apito no fiofó dos outros é refresco !!
Chega nosso juiz, sorriso nos lábios, ar de cansado, mas feliz e o Gilberto pergunta: “E ai, Deca liberou legal o apito?” Deca responde com um sorrisinho tímido: “Não foi fácil, mas depois que seu Dely benzeu eu senti que tinha mais forças e disposição e com um pouquinho de esforço o danado saiu apitando”, acho que na viagem dele viu muitas OFISAIAS !!!
Coloca a mão no bolso, tira o malfadado apito, que era de cobre, antes de ser engolido estava meio enzinabrado, mas reluzia feito ouro, dava gosto de ver, só de ver, ninguém quis pôr a mão nele.

Esse apito ainda existe com certeza você já apitou jogo com ele!
Comentários
6 Comentários

6 comentários :

Anônimo disse...

Mais uma cronica do Gil, mais uma vez ri bastante e aprendi mais sobre os "causos" do sertão baiano.
Sou uspeita a elogiar o Gil, sou sua fã !


Gardênia Montenegro
Porto Alegre RS

Rosilene Campos disse...

Li todo o jornal, matérias interessantíssimas, as ruinas me chamaram a atenção, fiquei triste ao ler sobre água , alguma coisa deve ser feita urgentemente, mas, para um pouco de consolo, li e ri muito com a crônica do tio... e quando for editado o "cordel" o Parto Da Berenice, todos vão gostar, tive a oportunidade de ler algumas estrofes.. lindo de ler..!!

Claude Hélène Wirth Vieira disse...

Que posso eu dizer do Gil e suas cronicas. elas dizem tudo, até seu carinho pelo SEU sertão que ele acha o lugar mais lindo do mundo, e olha que ele conhece vrios Paises desse mundo.
Ao Tayguara , desejo muita força e parabenizo-o e a sua equipe
Claude Hélène Wirth Vieira

Folha Sebastianense disse...

Merci d'avoir faire um comentaire Claudine.
Nous sommes très heureux de ta visite.
Nous demandons très gentilment que tu continues a nous visiter des temps en temps.
Merci!

Anônimo disse...

Gil, voce escreve como um menino contando um causo. Adorei!

Márcia Quinette
Sumaré SP

Anônimo disse...

Márcia:
Fiquei feliz..."como um menino", seria tão bom se nunca deixássemos de sê-lo, o mundo teria sempre as cores do arco-íris e pensar que muitos vêm o arco-íris em preto e branco
Obrigado, Má
Sou seu fan, você sabe
Gildazio Vieira
Genebra Suiça

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
MyFreeCopyright.com Registered & Protected
O conteúdo deste site é disponível para cópia e divulgação só exigindo a menção da fonte. Caso contrário infringe regras e leis de direito autoral conforme a Lei 9610/1998.