28 de abril de 2013

Bahiatursa divide R$ 3,86 milhões entre municípios para festa junina. Sebastião Laranjeiras é um deles.


A Empresa de Turismo da Bahia (Bahiatursa) divulgou a relação dos 77 municípios que vão dividir os R$ 3,86 milhões para a realização de festas juninas pelo Projeto São João 2013.
Entre as contempladas estão 55 cidades na lista de "situação de emergência" provocada pela seca da Coordenação de Defesa Civil do Estado (Cordec). Os municípios em dificuldades vão receber um total de R$ 2,5 milhões do Estado para realizar a festa.
De acordo com um levantamento do A TARDE, com base em contratos emergenciais para a distribuição de água que constam no Diário Oficial do Estado (DO), os recursos direcionados ao São João seriam suficientes para garantir o pagamento das diárias de quatro carros-pipas durante 30 dias para as 55 cidades.
O secretário do Turismo e presidente da Bahiatursa, Domingos Leonelli, defende a realização da festa nas cidades atingidas pela seca.
Leonelli chama a atenção para a importância cultural e econômica das festas juninas
"O São João é um momento de festa que nós enxergamos como economicamente positivo. Imagine o povo que já está sofrendo com a seca ser privado de toda a movimentação que a festa gera não apenas para a grande indústria e o grande comércio, mas para a economia informal", diz.
O secretário diz que no período das festas juninas, mais de 500 mil pessoas saem da capital rumo ao interior.
"Isso movimenta uma imensa cadeia, que passa por bebidas, comida, vestuário e até hospedagem, porque muitas casas são transformadas em pousadas", destaca.
Segundo ele, a divisão dos recursos foi feita com base na avaliação de uma comissão com representantes das secretarias de Relações Institucionais (Serin), Cultura (Secult), Comunicação (Secom), Casa Civil e Turismo (Setur), além de representantes da Bahiatursa.
Este ano, o volume para a realização das festas aumentou 36% em relação ao ano passado, quando o Estado disponibilizou R$ 2,8 milhões para 62 municípios.
Cuidado com as contas - O presidente do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), Paulo Maracajá, acredita que não há nada de errado nos municípios atingidos pela seca receberem recursos do Estado para realizar as festas juninas. Mas ressalta:  "É preciso ter cuidado com os gastos dos cofres dos municípios".
De acordo com Maracajá, as 22 inspetorias regionais do TCM estarão atentas aos gastos "que não forem razoáveis" feitos pelas prefeituras.
O que não é razoável? "Não é razoável que um prefeito veja a população passando necessidade por conta da seca, às vezes sem recursos para pagar a folha, e gaste R$ 200 mil ou R$ 300 mil com a contratação de artistas", diz.
Nestes casos, o presidente do TCM diz que os prefeitos terão que ressarcir a cidade.
A reportagem tentou falar com a presidente da União dos Municípios da Bahia (UPB), Maria Quitéria Mendes, mas ela não retornou o contato até o fechamento desta edição. De acordo com matéria publicada no site da UPB, a prefeita estava em Brasília buscando recursos para cidades atingidas pela seca.

Confira a relação de municípios integrantes do Projeto São João 2013: 


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
MyFreeCopyright.com Registered & Protected
O conteúdo deste site é disponível para cópia e divulgação só exigindo a menção da fonte. Caso contrário infringe regras e leis de direito autoral conforme a Lei 9610/1998.